Notícias

Reportagem mostra avanço do crack no Brasil; CNM reforça alerta para problemática

Quinta, 20 de julho de 2017.

20072017 Crackolandia Gov SPO avanço do crack no país é um tema recorrente na imprensa nacional. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) vem alertando sobre o tema há anos. A entidade mostra que a droga chegou a Municípios de todo ao país, tendo como destino inclusive regiões rurais. Reportagem veiculada na Globonews e no Bom Dia Brasil reforça a constatação e mostra, ainda, o aumento no número de apreensões em pelo menos 16 Estados brasileiros.

A matéria destaca que o crack está se espalhando pelo Brasil e isso vem ocorrendo por meio das estradas federais. Além disso, a reportagem aponta que São Paulo passou a ser um ponto de distribuição da droga. No Estado do Mato Grosso do Sul, as apreensões de crack aumentaram 450% em um ano.

A reportagem alerta que a preocupação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) é a apreensão da pasta base da cocaína, tendo em vista que a droga raramente chega pronta dos países vizinho ao Brasil. A quantidade da pasta apreendida chegou a uma 1,45 tonelada apenas no primeiro semestre, quantia que pode ser transformada em seis toneladas de crack.

Mato Grosso também é apontada como uma das principais portas de entrada da droga no Brasil. Neste ano, as apreensões da pasta base no Estado chegaram a 801 quilogramas. Mas os números também subiram em outros 14 Estados. “O volume total de crack apreendido nas estradas federais subiu quase 80% nos primeiros cinco meses do ano em todo o país, em comparação com o mesmo período do ano passado”, alerta a reportagem.

Apenas no Tocantins, o número aumentou 85 vezes. Na Bahia, subiu quase quatro vezes. “Esses números, segundo os especialistas em segurança, mostram que o crack, antes uma droga muito consumida em São Paulo, se espalhou mesmo pelo País. O Estado ainda é um dos principais destinos da droga, mas nem tudo que chega até aqui fica aqui”, frisou a jornalista Janaína Lepri.

Observatório do Crack
Preocupada com a questão, a CNM acompanha a situação no país desde meados de 2010. A entidade criou a ferramenta Observatório do Crack. O ranking da entidade é constantemente atualizado com informações enviadas pelas prefeituras. Dados da entidade de 2010 já mostravam o avanço das drogas ao interior do país.

O estudo da CNM inclui grandes cidades do interior na “lista vermelha” da droga. Para a CNM, o fato de a maioria dos municípios responder espontaneamente ao questionário indica a gravidade do problema e o entendimento por parte das prefeituras em relação aos impactos à população.

Para a entidade, que serve de apoio a debates sobre a temática e possui diversos estudos e pesquisas, o problema do uso de drogas no Brasil é crônico e envolve muito mais do que força policial. A tônica precisa ser expandida para uma visão que abrange questões sociais, de saúde, urbanísticas e culturais.

Veja aqui mais informações sobre o Observatório do Crack e aqui a reportagem do Bom Dia Brasil