Notícias

Matéria sobre a importância das ONGs no enfrentamento das drogas menciona dados da CNM

Quarta, 10 de janeiro de 2018.

Gov. SPDados do Observatório do Crack da Confederação Nacional de Municípios (CNM) voltam a ser mencionados pela mídia. Dessa vez, uma matéria especial do Imperatriz Notícias, divulgada nesta terça-feira, 9 de janeiro, abordou a importância das organizações não-governamentais (ONGs) no enfretamento do consumo crescente de drogas e também no auxílio a sociedade e as famílias.

“De acordo com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), 70% das cidades maranhenses têm usuários de crack. Além de Imperatriz, outros 40 Municípios foram classificados como portadores de índices elevados no que diz respeito ao aumento e uso de drogas”, destacou o texto.

Aproximadamente 80 dependentes químicos, hoje, têm acesso a projetos que os ajudam a enfrentar o vício das drogas ou do álcool. Situados nas proximidades de Imperatriz, abrigam pessoas com idade a partir de 18 anos, que residem em ambientes afastados, geralmente em chácaras, como estratégia para diminuir as chances de interromperem o tratamento.

Entre as ONGs que mantém essas ações no Estado, conforme mostrou a publicação, estão a Casa de Davi, a Resgate, a Renascer Feminino, a Renascer Masculino e a Fazenda da Esperança. Essas instituições são, em sua maioria, filantrópicas ou ligadas às igrejas e são mantidas através de doações e ações voluntárias.

Iniciativas

  1. Projeto Resgate – tem uma média de 20 dependentes, que passam por três fases: desintoxicação, preparo para a ressocialização e formatura, onde os internos podem recomeçar a sua vida social.
  2. Casa de Davi - mantida por doações voluntárias, o abrigo possui capacidade para 20 dependentes, mas acolhe 24 internos. O tratamento também é dividido em três fases, com período de dois meses para cada uma delas.
  3. Instituto Lugar de Ajuda – vinculado à Igreja Evangélica Nova Aliança, a comunidade terapêutica tem capacidade para 45 homens e atualmente está com 42 internos. O tratamento dura seis meses e passa por três etapas: pronto socorro, terapias ocupacionais e preparo para o retorno para casa.
  4. Fazenda da Esperança - ligada à igreja católica – auxilia os dependentes que desejam abandonar o vício. Inaugurada recentemente, a instituição já tem 11 dependentes e se mantém de doações e da venda de produtos feitos pelos internos.
  5. Renascer Feminino – também vinculado à Igreja Evangélica Nova Aliança, o local tem entre 30 a 40 pacientes em tratamento anualmente. A organização recebe mulheres a partir de 18 anos e oferece serviços médicos, em parceria com clínicas e laboratórios privados para exames laboratoriais; e com Centro de Atenção Psicossocial (Caps) para apoio psiquiátrico. Também conta com o auxílio voluntário de um psicólogo, que realiza atende as internas.

Observatório

Além de registrar as informações dos governos locais, o portal criado pela CNM também dispõe de dados sobre a rede de assistência presente nos Municípios. Por meio de um mapa, é possível identificar como os gestores definem a situação das drogas em suas localidades. Confira aqui.

 

Com informações do Imperatriz Notícias