Notícias

Especialistas debatem atendimento a dependente químico e trabalho em hospitais; CNM acompanha

Quarta, 14 de agosto de 2019.

EBCO cenário e as perspectivas para cuidados nos hospitais psiquiátricos estiveram em debate durante a 13ª Convenção Brasileira de Hospitais, realizada em Salvador (BA). Especialistas defenderam no encontro que a avaliação do dependente químico precisa ser feita individualmente e avaliaram a importância do trabalho dos hospitais psiquiátricos. A Confederação Nacional de Municípios (CNM), por meio do Observatório do Crack, acompanha as discussões e os desdobramentos que envolvem a Política Nacional sobre as Drogas.

O encontro reuniu aproximadamente três mil pessoas. Em sua participação, o Secretário Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro Júnior, defendeu que a definição do tratamento clínico para dependentes químicos deve levar em consideração a necessidade clínica de cada indivíduo e nenhum recurso terapêutico deve ser visto com preconceito. Ele também entende que a rede de atenção em saúde mental precisa ser ampliada e diversificada.

Outro participante, o presidente da Associação Brasileira para o Desenvolvimento do Edifício Hospitalar (ABDEH), Emerson Da Silva, apresentou ideais como desestigmatizar o leito psiquiátrico e os hospitais. “Somos favoráveis à implantação de redes de serviços plurais e integrais aos usuários para diferentes demandas. Apoiamos o processo evolutivo de reforma da saúde mental de modo que as pessoas tenham acesso a um tratamento efetivo sem deixar de lado cada peculiaridade”, destacou.

Trabalho
Professor titular de psiquiatria na Escola Paulista de Medicina e coordenador da Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas (Uniad) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Ronaldo Laranjeira, abordou a realidade dos hospitais psiquiátricos em São Paulo e do que tem sido feito na área. “Estamos tendo avanços e ficamos empolgados por estarmos agora em sintonia com o governo federal e com as pessoas que querem melhorar a psiquiatria e a saúde mental no Brasil”, concluiu.

Representando o Hospital Nosso Lar de Fortaleza (CE), a enfermeira Liliane Torres ressaltou a importância do trabalho oferecido pelos hospitais psiquiátricos em todo o País. “Estamos ganhando muito com a visibilidade que o governo federal está dando para o nosso trabalho especializado”, afirmou.

Observatório
Desde 2011, o Observatório do Crack mantém informações atualizadas sobre a temática das drogas para repassar aos Municípios brasileiros. A plataforma da CNM possui outras funcionalidades, como: panorama da drogadição no país, boas práticas e outras ações promovidas pelo movimento municipalista. A intenção também é auxiliar os gestores no desenvolvimento de iniciativas e projetos referentes à Política Nacional sobre as Drogas.


Da Agência CNM de Notícias, com informações do Ministério da Cidadania
Foto: EBC