Notícias

Segurança nas fronteiras foi tema de reunião entre representantes brasileiros e europeus

Quarta, 11 de agosto de 2021.

11102020 Gefron01Aperfeiçoar os mecanismos de coordenação entre os países da América Latina para promover maior segurança nas fronteiras e subsidiar o combate ao tráfico de pessoas e de drogas, além do contrabando de migrantes. Esse foi o objetivo do encontro entre a Delegacia de Polícia Federal em Foz do Iguaçu (PF/PR), o comissariado europeu e o Ministério da Justiça (MJ).

Também participaram da incursão, uma comitiva do MJ, o delegado Regional Executivo da PF no Paraná, Roberto Mello Milaneze e representantes da Direção Geral da Polícia Federal. A reunião representa uma oportunidade de conhecer um pouco da estrutura da PF na tríplice fronteira, bem como as suas mais diversas áreas de atuação, como imigração, fiscalização, combate ao tráfico de drogas e de armas, dentre outras.

Projeto de cooperação com a América Latina para o apoio à implementação de uma gestão integrada de fronteiras (Eurofront) é uma cooperação técnica com a União Europeia. E, ao visitar a sede da PF, os representantes do Eurofront sinalizaram o desejo de aproximação e o interesse em conhecer mais a fronteira brasileira.

Eles puderam conhecerem a realidade das fronteiras brasileiras e Foz do Iguaçu, por sua importância estratégica, escolhida como melhor local para demonstrar a dinâmica de áreas fronteiriças. O comissariado fez ainda visita técnica na aduana da Ponte Internacional da Amizade, fronteira mais movimentada do país, e nas bases Estaleiro e Itaipu, onde estão sediados o Núcleo de Polícia Marítima da Polícia Federal (Nepom).

Observatório do crack
Por meio do Observatório do Crack, a Confederação Nacional de Municípios (CNM), alerta sobre a fragilidade da fronteira brasileira desde 2011, quando lançou uma plataforma on-line inédita, com panorama sobre as drogas no Brasil. No ano de 2013, houve uma pesquisa, com o recorte sobre a área de fronteira.

A Confederação também tem usado a ferramenta para mostrar o impacto das drogas na gestão da saúde pública. O hotsite mostra que o aumento do tráfico nas faixas fronteiriças é responsável também pelas elevadas taxas de mortalidade em torno do consumo e distribuição de drogas pelo país, portanto, esse tipo de articulação com outros países pode ser muito produtivo, visto que a troca de conhecimento e informações vem a contribuir para um melhor serviço prestado à sociedade.

 

Foto: EBC



Da Agência CNM de Notícias